Minicursos disponíveis

MINICURSO 01 – TÍTULO DO MINICURSO: O GOLPE DE 2016 E O FUTURO DA DEMOCRACIA

TEMÁTICA: História Política

MINISTRANTE: Prof. Dr. Lyndon de Araújo Santos

VÍNCULO INSTITUCIONAL: DEHIS/PPGHIS-UFMA

CARGA HORARIA: 06h

HORÁRIO:   2 horas por dia

04/07/2018 – 8h às 10h

05/07/2018 – 8h às 10h

06/07/2018 – 8h às 10h

  1. APRESENTAÇÃO

O Mini Curso visa discutir o Golpe de 2016 na relação de longa duração com a história política republicana, apresentando aspectos recorrentes na nossa cultura política, tecida durante séculos como herança do escravismo, caracterizada pelas práticas do autoritarismo, do mandonismo, do sexismo, de discriminações e de golpismos. A partir da proposta da disciplina na UnB, da reação do ministro da Educação e do movimento de solidariedade por parte de universidades públicas no Brasil em oferecer a mesma temática, o presente mini curso intenta dar continuidade ao debate incorporando uma discussão historiográfica necessária para historiadores (as) no Maranhão.

  1. OBJETIVOS

Geral.

  • Compreender e discutir o golpe de 2016 na relação com a história republicana e com a historiografia.

Específicos.

  • Apresentar a conjuntura da ruptura democrática de 2016 e a crise do atual (des)governo com os retrocessos nos direitos e nas liberdades civis.
  • Discutir questões sociais, culturais, religiosas, midiáticas e trabalhistas do Brasil atual.
  • Fazer uma discussão da historiografia dos golpes de 1964 e de 2016.
  • Avaliar os horizontes de resistência popular, do restabelecimento do Estado de Direito e da democracia.

   3. CONTEÚDO

 04/07/2018 – 8h às 10h: “De golpe em golpe a direita enche o papo”: Um olhar para a história republicana brasileira.

05/07/2018 – 8h às 10h: “Entre Coxinhas, Trouxinhas e Escondidinhos”: O Golpe de 2016 desde os campos da política, da cultura, da mídia, do trabalho e da religião.

06/07/2018 – 8h às 10h: “Conspiração imperialista ou Artimanhas de Clio?”: O Debate historiográfico sobre 1964 e 2016.

  1. PÚBLICO ALVO

 Professores da rede pública, estudantes de graduação e de pós-graduação.

  1. METODOLOGIA

 Aulas expositivas com participação e debate.

 

MINICURSO 02 – Título do Minicurso:  O Nazismo na Alemanha: a trajetória de um projeto que levou ao Holocausto Judeu

TEMÁTICA:  O Nazismo em uma perspectiva histórica

Ministrante: Priscilla Piccolo Neves

Vínculo Institucional: PPGHEN/UEMA

Carga Horária: 06h00

Horário

2 horas por dia

04/07/2018 – 8h às 10h

05/07/2018 – 8h às 10h

06/07/2018 – 8h às 10h

  1. Apresentação (300 caracteres)

 O presente minicurso se propõe a abordar historicamente um dos fenômenos mais marcantes do século XX, cujos resquícios ainda podem ser sentidos em várias partes do mundo: o nazismo. Parte-se do pressuposto que um dos mais importantes desdobramentos do nazismo foi o Holocausto de seis milhões de judeus, vitimados nos campos de concentração.

  1. Objetivos (Geral e específicos)

Geral:

  • Historicizar o projeto nazista, apresentando as estratégias para tomada do poder, as principais orientações do governo de Hitler e seus desdobramentos, com ênfase no Holocausto judeu.

Específico:

  • Mapear as estratégias do partido nacional-socialista dos trabalhadores alemães (nazista) para chegada ao poder;
  • Apresentar as principais diretrizes do governo de Hitler, principalmente aquelas diretamente relacionadas à perseguição aos judeus, como as Leis de Nuremberg e a propaganda política;
  • Analisar os fundamentos da ação governamental que levou ao Holocausto, como a adoção da “solução final” nos campos de concentração.
  • Discutir algumas obras literárias produzidas por sobreviventes dos campos de concentração, como Primo Levi e Mietek Pemper.
  1. Conteúdo

Ao longo do minicurso serão discutidos os seguintes conteúdos: as estratégias para tomada do poder pelos nazistas;  as principais orientações do governo de Hitler e seus desdobramentos, com ênfase no Holocausto judeu; as principais diretrizes do governo de Hitler, principalmente aquelas diretamente relacionadas à perseguição aos judeus, como as Leis de Nuremberg e a propaganda política; os fundamentos da ação governamental que levou ao Holocausto, como a adoção da “solução final” nos campos de concentração; obras literárias produzidas por sobreviventes dos campos de concentração.

  1. Público – Alvo

 Alunos do Ensino Médio, graduandos e graduados em História e áreas afins.

  1. Metodologia

Esse minicurso será sistematizado em três momentos: um primeiro em que serão analisados os fundamentos do nazismo, analisando historicamente seu percurso até chegada ao poder por Hitler em 1933; o segundo momento será destinado à análise do governo de Hitler que levou à formação do III Reich e as políticas antissemitistas. Por fim, serão analisadas histórias individuais (autobiografias) de judeus que sobreviveram ao projeto nazista que levou ao Holocausto.

 

MINICURSO 03 – Título do Minicurso: História e Música: uma trajetória da Bossa Nova à Tropicália

TEMÁTICA: HISTÓRIA E MÚSICA POPULAR BRASILEIRA

Ministrante(s): Jonas Rodrigues de Moraes (UFMA) e Alfredo Werney Lima Torres (IFPI-Teresina-PI)

Vínculo Institucional: Universidade Federal do Maranhão – UFMA e Instituto Federal do Piauí – IFPI/Teresina-PI

Carga Horária 06h00

Horário 2 horas por dia

04/07/2018 – 8h às 10h

05/07/2018 – 8h às 10h

06/07/2018 – 8h às 10h

  1. Apresentação

O curso abrange análises e discussões sobre a relação entre história e música popular brasileira procurando abordar a emersão da Bossa Nova e suas inter-relações com a Tropicália. Deve-se salientar que o surgimento de gêneros musicais como a Bossa Nova, no final da década de 1950, também aproximou escritores acadêmicos e cancionistas populares, possibilitando uma troca mútua de experiências estéticas e abrindo novos campos de estudos históricos, literários e musicais. Em relação à Tropicália, salienta-se que esse movimento musical impulsionou rupturas com fronteiras locais, regionais e nacionais, possibilitou a quebra de valores morais e políticos que muito incomodou o regime civil-militar (1964-1985). As participações de Gilberto Gil, Torquato Neto, Caetano Veloso, Tom Zé, o maestro Rogério Duprat, entre outros foram fundamentais para a emersão do Tropicalismo. Enfim, o que se traz para esse minicurso serão os diálogos e as inter-relações entre a bossa-novistas e os tropicalistas.

  1. Objetivos (Geral e específicos)

Proporcionar aos participantes uma visão substancial sobre a relação da Histórica com a Música Popular Brasileira na perspectiva de compreender a emersão da Bossa Nova seus diálogos e suas relações com Tropicália do ponto de vista estética e dos elementos composicionais e poéticos.

  1. Conteúdo

– Bossa nova: “outras notas vão entrar”;

– João Gilberto:  a nova dicção da MPB;

– Os festivais da música popular brasileira

­– Tropicália: os novos sons da música popular brasileira

  1. Público – Alvo

Estudantes de graduação e de pós-graduação.

  1. Metodologia

Aulas discursivas, audição seletiva de músicas, utilização de recursos audiovisuais para análise de performances musicais, leitura de textos científicos e de letras de composições selecionadas.

 

MINICURSO 04 – Título do Minicurso África Contemporânea: da História à Literatura

TEMÁTICA: África Contemporânea

Ministrantes: Ma. Aldina da Silva Melo e Ma. Clécia Assunção.

Vínculo Institucional: Universidade Federal do Maranhão e Instituto Federal do Maranhão.

Carga Horária: 06h00

Horário (2 horas por dia)

04/07/2018 – 8h às 10h

05/07/2018 – 8h às 10h

06/07/2018 – 8h às 10h

  1. Apresentação

Este minicurso traz o debate sobre África Contemporânea, a partir do diálogo entre História e Literatura. O minicurso divide-se em 3 eixos centrais: I) Processos de colonizações e independências em África; II) Imperialismos e resistência no continente africano; III) As culturas africanas na literatura.

    2. Objetivos

Geral

Analisar a história da África Contemporânea a partir do diálogo entre historiografia e literatura

Específicos

– Refletir sobre os conceitos de imperialismos e resistência em África;

– Discutir a colonização e descolonização dos países africanos;

– Compreender o processo de invenção da África;

– Problematizar a valorização da literatura como representação das múltiplas culturas africanas e reformulação positiva de sua identidade.

3. Conteúdo

  1. I) Impressões e percepções sobre África;
  2. II) Processo de colonização em África;

III) As independências no continente africano;

  1. IV) As representações das culturas africanas a partir da literatura.

4. Público – Alvo

Estudantes de Graduação, Pós-Graduação e Professores da Educação Básica.

5. Metodologia

Rodas de debates;

Leitura direcionada de texto(s);

Atividades em grupo.

 

MINICURSO 05 – Título do minicurso : Ditadura Empresarial-Militar: autoritarismo e desenvolvimento econômico

TEMÁTICA: Ditadura Empresarial-Militar

Ministrantes: Drielle Souza Bittencourt; Raíssa Caroline Macau Mendes; Ms. Werbeth Serejo Belo

Vínculo Institucional: Drielle Souza Bittencourt – Mestranda/Programa de Pós-Graduação em História, Ensino e Narrativas PPGHEN); Raíssa Caroline Macau Mendes – Mestranda/Programa de Pós-Graduação em História, Ensino e Narrativas (PPGHEN); Ms. Werbeth Serejo Belo – Prof.º Colégio Santa Fé.

 Carga Horária: 06h00

Horário

2 horas por dia

04/07/2018 – 8h às 10h

05/07/2018 – 8h às 10h

06/07/2018 – 8h às 10h

  1. Apresentação

O presente minicurso tem como tema de investigação a estrutura político-econômica do regime ditatorial que se instaura no Brasil a partir de 1964. A hipótese central a ser apresentada considera que o autoritarismo foi fundamental para a consolidação da fração financeira como classe dirigente entre 1964 e 1985.

  1. Objetivos (Geral e específicos)

Geral: Analisar a estrutura político-econômica da ditadura Empresarial-Militar brasileira;

Específicos:

  1. Perceber a imbricação entre o autoritarismo e a política desenvolvimentista da ditadura Empresarial-Militar;
  2. Analisar a atuação das principais agências e agentes nos âmbitos político e econômico;
  3. Discutir a política desenvolvimentista;
  4. Perceber a consolidação da fração burguesa financeira na condução do Estado.

3. Conteúdo

Pretende-se analisar a conjuntura ditatorial no Brasil entre os anos de 1964 e 1973. Este recorte temporal é justificado por ser este o momento de reestruturação do Sistema Econômico Nacional e da consolidação da fração burguesa financeira na condução do Estado. Além disso, é este o período em que são promulgados os principais atos institucionais e as principais diretrizes econômicas, de modo que o autoritarismo instaurado subsidia o projeto desenvolvimentista que se pretende hegemônico. Assim, o foco de análise do minicurso são os governos Castelo Branco (1964-1966), Costa e Silva (1966-1969) e Médici (1969-1973).   

  1. Público – Alvo

 Alunos de graduação, graduados e alunos de Pós-Graduação.

  1. Metodologia

 Discussão bibliográfica;

Análise de legislação;

Análise dos planos econômicos;

Análise de dados estatísticos.

 

MINICURSO 06 – Título do Minicurso:  A morte: suas concepções e representações históricas e sociais.

TEMÁTICA:  História da Morte e do Morrer

Ministrante:  Prof. Dr. Dimas dos Reis Ribeiro e Profa. Ma. Anne Caroline Nava Lopes

Vínculo Institucional: UFMA

Carga Horária: 06h00

Horário

2 horas por dia

04/07/2018 – 8h às 10h

05/07/2018 – 8h às 10h

06/07/2018 – 8h às 10h

  1. Apresentação

A proposta visa abordar a morte e suas representações históricas, sociológicas e culturais, considerando as crenças, o imaginário, a memória, os elementos artísticos, os espaços sociais da morte nos cemitérios e a diversidade de sepulturas, práticas e matérias empregados na morte e no morrer.

  1. Objetivos (Geral e específicos)

Oportunizar novos olhares sobre a morte e os cemitérios. Reconhecer os cemitérios enquanto espaço de memória e de reprodução da sociedade dos vivos em miniatura. Valorizar os Cemitérios enquanto museu a céu aberto. Despertar a importância da preservação e manutenção dos túmulos de valor artístico e cultural. Construir uma interlocução interdisciplinar entre a História e a Sociologia nos estudos da morte e do morrer.

  1. Conteúdo

Estudos e pesquisas sobre morte. A morte, suas concepções e representações. Epitáfios e adornos. Coroas e Guirlandas. Anjos e alegorias. Arte Cemiterial, Iconografias e Devoções.

  1. Público – Alvo

Docentes, acadêmicos de graduação, pós-graduação, pesquisadores e demais interessados pela temática.

  1. Metodologia

Exposição dialogada, leitura de textos, visita ao Cemitério de Alcântara (aula prática).

 

MINICURSO 07 – Título do Minicurso:  A Transição Política Brasileira em perspectiva: rumo à qual democracia?

 TEMÁTICA:  Questões centrais da Transição Política Brasileira

Ministrante:  Leonardo Leal Chaves

Vínculo Institucional: PPGHEN/UEMA

Carga Horária: 06h00

Horário

2 horas por dia

04/07/2018 – 8h às 10h

05/07/2018 – 8h às 10h

06/07/2018 – 8h às 10h

  1. Apresentação

 O presente minicurso se propõe a analisar o processo da transição política brasileira, iniciado com o projeto Geisel-Golbery, na década 1970. Serão destacados os embates em torno dos rumos da Abertura, com a anulação dos Atos Institucionais, o fim do bipartidarismo e a aprovação da Lei de Anistia, enfatizando o modelo de democracia que então se consolidou.

  1. Objetivos (Geral e específicos)

Geral:

  • Analisar o processo histórico da Transição Política brasileira, destacando os distintos projetos que disputavam sua condução e que acabaram por moldar a democracia brasileira dos anos 1980.

Específico:

  • Mapear os distintos projetos de abertura, desde a década de 1960 até o Governo Figueiredo, momento em que são suspensos os principais instrumentos ditatoriais: os atos institucionais e o bipartidarismo.
  • Apresentar as principais diretrizes da Lei de Anistia, instrumento legal que possibilitou o retorno dos exilados e anistiou não só os acusados de crimes políticos como os agentes do Estado envolvidos na repressão.
  • Analisar os fundamentos do modelo de democracia hegemônico no Brasil na década de 1980.
  1. Conteúdo

Ao longo do minicurso serão discutidos os seguintes conteúdos: o processo histórico da Transição Política brasileira, destacando os distintos projetos que disputavam sua condução e que acabaram por moldar a democracia brasileira dos anos 1980; os distintos projetos de abertura, desde a década de 1960 até o Governo Figueiredo, momento em que são suspensos os principais instrumentos ditatoriais: os atos institucionais e o bipartidarismo; as principais diretrizes da Lei de Anistia, instrumento legal que possibilitou o retorno dos exilados e anistiou não só os acusados de crimes políticos como os agentes do Estado envolvidos na repressão; os fundamentos do modelo de democracia hegemônico no Brasil na década de 1980.

  1. Público – Alvo

 Alunos do Ensino Médio, graduandos e graduados em História e áreas afins.

  1. Metodologia

Esse minicurso será sistematizado em três momentos: um primeiro em que serão analisadas as características do  processo histórico da Transição Política brasileira, destacando os distintos projetos que disputavam sua condução e que acabaram por moldar a democracia brasileira dos anos 1980. No segundo,  será realizado o mapeamento dos distintos projetos de abertura, desde a década de 1960 até o Governo Figueiredo, momento em que são suspensos os principais instrumentos ditatoriais: os atos institucionais e o bipartidarismo. Por fim, serão apresentadas as principais diretrizes da Lei de Anistia, instrumento legal que possibilitou o retorno dos exilados e anistiou não só os acusados de crimes políticos como os agentes do Estado envolvidos na repressão e, ainda, analisados os fundamentos do modelo de democracia hegemônico no Brasil na década de 1980.

 

 

MINICURSO 08 – Título do Minicurso: “Literatura, memória e testemunho”.

 TEMÁTICA: Literatura e História

Ministrante(s): Sarah Silva Fróz

Vínculo Institucional:  Estudante do programa de Pós-graduação strictu sensu de Letras da Universidade Estadual do Maranhão – UEMA/PPGMEL.

Carga Horária: 6 horas

2 horas por dia

04/07/2018 – 8h às 10h

05/07/2018 – 8h às 10h

06/07/2018 – 8h às 10h

 

  1. Apresentação 

 

Este minicurso intenta   analisar a obra “O diário de Anne Frank”, relacionando-o com conceitos teóricos ligados a memória e a análise de discurso.  Assim, como compreender as problemáticas em torno das narrativas de testemunho em obras ficcionais, e como que elas nos permitem abrir diálogos possíveis com os conhecimentos dos campos historiográficos e culturais.

 

  1. Objetivos:
    • Geral

 

Entender o diálogo entre história e literatura a partir da   ficção, e como o conceito de memória e testemunho como temas essenciais aos estudos contemporâneos.

 

  • Específicos

 

  • Analisar o processo de (re)construção da memória, a partir do lugar de fala e circunstâncias adotadas pelos personagens e sujeitos poéticos da obra O diário de Anne Frank.
  • Reconhecer práticas sociais, materializadas em lugares e experiências, capazes de nortear a relação do sujeito com a memória cultural.
  • Compreender a escrita do eu, cujo teor testemunhal problematiza processos discursivos e estéticos.

 

  1. Conteúdo:

 O Diário de Anne Frank, é uma narrativa testemunhal, em que seu contexto é marcado por um dos momentos mais impactantes do século XX, que compreende o período da ascensão de Hitler e o projeto Nazista na Alemanha em 1933, até o fim da Segunda guerra mundial em 1945.  À luz da crescente evocação da memória em diferentes processos e relações sociais, a proposta do minicurso é discutir a representação da memória e testemunho na literatura, por meio de correlações interdisciplinares.

 

  1. Público – Alvo

Estudantes da educação básica, professores da educação básica, estudantes de graduação, aberto a todos os interessados em conhecer a obra O Diário de Anne Frank, assim como   a literatura e sua relação com a história.

 

  1. Metodologia

O minicurso está estruturada em aulas expositivas, discussão de textos teóricos e literários. Assim, possibilitando que se analise e exponha os diferentes papeis desempenhados pelo diário, como recurso mnemônico e testemunhal.