Relação dos Simpósios Temáticos

ST1AUTORITARISMO E DEMOCRACIA: HISTÓRIA E HISTORIOGRAFIA

Coordenadores: Drª Monica Piccolo (UEMA) / Dr. Victor de O. P. Coelho (UFMA/Pinheiro)

Este Simpósio tem como tema central questões envolvendo a tensão entre autoritarismo e democracia. Serão aceitos trabalhos que discutem tais tensões, os desafios históricos e políticos em torno da luta pela democracia e as teorias do Estado de exceção, seja no Brasil e no Maranhão em particular, seja no que se refere ao contexto mais amplo. Os trabalhos podem ser de pesquisa historiográfica ou em torno de problemas mais centralmente conceituais e teóricos. Cabe ressaltar que nas últimas décadas o estudo do político foi renovado, e as tradicionais – e ainda válidas – abordagens centradas na história das ideias ou em atores e eventos marcantes têm, agora, a companhia de outros gêneros de pesquisa e abordagem tais como a história intelectual, a história dos conceitos e o estudo da(s) cultura(s) politica(s), além do estudos centrados mais no âmbito da cultura e da religiosidade que, atentos à dimensão do simbólico, remetem à questão da cidadania. Nesse sentido, não só a história do tempo presente como também a interdisciplinaridade são bem-vindas, abrindo-se a possibilidade de abordagens que relacionam política, história, cultura, religiosidade, mídia, judiciário etc., bem como o diálogo entre história, ciência política, filosofia política, filosofia do Direito etc.


ST2: PODER, SOCIEDADE E CULTURA NO BRASIL IMPERIAL

Coordenadores: Dr. Marcelo Cheche Galves (UEMA) / Dr. Ítalo Domingos Santirocchi (UFMA/Pinheiro)

Essa proposta vincula-se às atividades desenvolvidas pela Sociedade Brasileira de Estudos do Oitocentos (SEO), que dentre outros propósitos, objetiva incentivar pesquisas e promover discussões no âmbito da História do “longo século XIX” (1750-1930). Para os limites desse simpósio, o objetivo é reunir trabalhos de pesquisadores interessados em questões que entrecruzem poder, sociedade e cultura no Brasil Império. Interessa-nos trabalhos que tomem como referência a difusão da palavra escrita nos debates políticos, religiosos e culturais. Por meio de fontes impressas ou manuscritas, interessa-nos o debate público, a confrontação de ideias e de projetos, que envolvam política, imprensa, religião, cultura, trabalho, identidade e a formação do Estado/nação, permitindo compreender melhor a sociedade brasileira oitocentista. A história social, produzida por meio de análise quantitativa e serial, quando diretamente relacionada à temática, poderá ser contemplada pela proposta. Trabalhos sobre a produção e a comercialização dos próprios impressos, que enfrentem as complexas relações que prefiguram o eixo temático desse simpósio também serão aceitos.


ST3 – ÁFRICA E OS AFRO-BRASILEIROS

Coordenadores: Drª. Kátia Regis (UFMA/São Luís) / Ms.Rosenverck E. Santos (UFMA/São Luís)

Este ST tem por objetivo organizar um campo para discussão de pesquisas e estudos que tenham como temática a História da África e dos afro-brasileiros pensando as imagens e percepções da África e dos Africanos, bem como a sua inserção na Historiografia. Pretende, dessa forma, refletir sobre a unidade e diversidade na História africana e consequentemente o ensino de História da África e dos afro-brasileiros no Brasil. Além disso, busca compreender a África como o lugar de origem da humanidade e da civilização, pensando seus impérios, reinos e hegemonias políticas. Quer discutir a África antes e depois do tráfico de escravizados; os africanos e seus descendentes no Brasil; a influência social, política, econômica e cultural dos africanos e seus descendentes no Brasil inserindo-a no contexto da resistência da população afro-brasileira.


ST4 – CULTURA POLÍTICA, MEMÓRIA E REPRESENTAÇÕES NA AMÉRICA LATINA

Coordenadores: Dra. Carine Dalmás (UEMA) / Dra. Isabel Ibarra Cabrera (UFMA/São Luís) / Dr. Rickley Leandro Marques (UFMA/Pinheiro)

O Simpósio Temático “Cultura política, memória e representações na América Latina” pretende ser um espaço de divulgação e debate sobre a experiencia histórica do continente latino-americano após a consolidação das independências políticas. Trata-se de uma iniciativa que busca reunir pesquisadores que abordam temas e objetos diversificados a partir de problemáticas, métodos e documentação originais e em estreito diálogo com as perspectivas da história política renovada. Inserem-se nesta proposta abordagens relacionadas às culturas políticas, à memória, às representações, aos imaginários sociais e à circulação de ideias.


ST5 – PATRIMÔNIO CULTURAL: MATERIALIDADES E IMATERIALIDADES

Coordenadores: Drª Liliane Corrêa (UFMA/Codó) / Dr. Arkley Marques Bandeira (UFMA/Pinheiro)

O patrimônio cultural é um conceito que se modificou no tempo, agregando novas modalidades patrimoniais e estendendo seu sentido e sua área de atuação. Inicialmente, esteve atrelado apenas aos monumentos, mais tarde, os bens arquitetônicos e artísticos foram contemplados pelo conceito. Novas mudanças trouxeram os vestígios arqueológicos, as celebrações, os modos de fazer e saberes, os lugares, as formas de expressão e as paisagens culturais para o rol dos bens a serem considerados de importância para a preservação e a identidade de um povo ou sociedade. Associado aos institutos de preservação, o patrimônio cultural é engessado pela ação estatal, mas para além dessas categorias oficializadas, outras possibilidades poderiam ser consideradas e discutidas. Nesse sentido, esse grupo de trabalho propõe a discussão sobre o patrimônio cultural em toda a sua amplitude e que discutam as relações do patrimônio com a memória, a história, a arqueologia, a arquitetura, as artes, a antropologia e a identidade.


ST6 – RELIGIÕES E RELIGIOSIDADES: MANIFESTAÇÕES CONTEMPORÂNEAS

Coordenadores: Dra. Marcia Milena Galdez Ferreira (UEMA) / Dr. Wheriston da Silva Neris (UFMA/Bacabal) / Ms. Elba Mota (Doutoranda PPGH- UNIRIO-RJ).

O fenômeno religioso no Brasil e suas especificidades compõe um dos elementos indispensáveis para qualquer tentativa de descrição ou análise da sociedade brasileira. Tal fenômeno tem produzido um cenário complexo e dinâmico para pesquisadores das religiões e das religiosidades que procuram problematizar as singularidades, as mudanças e os sentidos das ações de indivíduos, de grupos sociais e de instituições, bem como o lugar e o papel do sagrado enquanto elemento da cultura. Propõe-se a discussão de pesquisas que abranjam o desenvolvimento destas particularidades, diante da conjuntura contemporânea desenvolvida ao longo do século XX. Entendemos a necessidade de estudos que se preocupem com a formação e as rupturas que caracterizaram a formação religiosa no Maranhão, particularmente entre católicos e protestantes. O campo religioso, enquanto espaço plural tem no catolicismo, no protestantismo, no espiritismo kardecista, nas religiões afro e neopagãs e nos trânsitos religiosos entre sujeitos e/ou instituições especificidades e complexidades que requerem abordagens históricas e interdisciplinares. Neste sentido, agregam-se neste simpósio trabalhos que contribuam para o profícuo debate das religiões e religiosidades no espaço maranhense contemporâneo. 


ST7 – ENSINO DE HISTÓRIA E OUTRAS LINGUAGENS

Coordenadores: Dr. Jonas Rodrigues De Moraes (UFMA/Pinheiro) / Dr. Dimas dos Reis Ribeiro (UFMA/Pinheiro)

Este simpósio propõe articular discussões relacionadas entre ensino de História e outras linguagens. Enseja que o ST possibilite reflexões sobre as múltiplas estratégias por meio das quais docentes e pesquisadores da área de história utilizam como metodologia e construção de narrativas para desenvolvimento de prática docente e escrita historiográfica. Efetivamente pode-se afirmar que a música, cinema, teatro romance, poesia, literatura, entre outros códigos de linguagens favoreceram e ampliaram indubitavelmente o campo do docente pesquisador. Nessa perspectiva, é necessário que professores, pesquisadores e graduandos de história, entre outros profissionais e estudiosos das áreas de ciências humanas e sociais sejam provocados a refletir sobre sua prática pedagógica e sua escrita acadêmica. Com as novas revelações acerca de alterações na educação é possível discutir estratégias para melhoria do ensino de História e de outras áreas das ciências humanas e sociais no contexto atual? De modo particular sobre o aspecto do processo de ensino e aprendizagem dos docentes da disciplina história afirma que “[…] sendo o “‘fazer histórico’ mutável no tempo, seu exercício pedagógico também o é. Eu diria que ensinar História é uma atividade submetida a duas transformações permanentes: do objeto em si e da ação pedagógica” (KARNAL, 2013, p.7). Efetivamente, em um contexto mais amplo, o simpósio refletirá sobre a pluralidade e múltiplas signos artísticos e linguísticos bem como as manifestações de cultura popular urbana e rural que contribuíram para ampliação da relação da História com outras linguagens.


ST8 – IMAGINÁRIO E REPRESENTAÇÕES POLÍTICAS E CULTURAIS NA IDADE MÉDIA

Coordenadores: Dr.ª Adriana Zierer (UEMA) / Dr. Marcus Baccega (UFMA/São Luís)

Em vista da atual crise político-institucional e econômica pela qual transita a sociedade brasileira, propõe-se aqui um exercício de reflexão histórica que articule presente-passado-presente. Desta forma, atendendo ao tema geral do Simpósio da ANPUH-MA, concentramos as discussões de nosso Seminário Temático nas diversas e contraditórias representações políticas que as instâncias de poder e produção de cultura, letrada ou oral, pictórica ou sonora, constituíram durante a longa duração medieval. Como discorreu o medievalista Jacques Le Goff em diversos ensaios, pode-se, com propriedade, pensar em um imaginário político, repleto de utopias, anseios, interesses e conflitos em torno da legitimidade e das formas concretas de exercício de poder e governança na Idade Média.


ST9 – MARANHÃO: FONTES, PROBLEMAS E PESQUISAS EM HISTÓRIA COLONIAL

Coordenadora: Drª  Pollyanna Mendonça (UFMA/São Luís)
Os estudos na área colonial vêm ganhando espaço na produção historiográfica recente do Maranhão. Trabalhos de graduação, mestrado e doutorado têm privilegiado os mais variados temas dentro da história colonial do nosso estado, tais como: política e administração; formação das elites; a história do cotidiano, da sexualidade, da família e da cultura material; a Igreja, a religião, a administração diocesana e Inquisição; a história indígena, dentre outros temas. O objetivo deste simpósio temático é, em perspectiva ampla, reunir estudos e pesquisas – em fase inicial ou concluídas – que utilizem temas e recortes sobre a história do Maranhão colonial nas mais diferentes filiações metodológicas, conceituais e utilizando variadas fontes.